jusbrasil.com.br
22 de Novembro de 2017
    Adicione tópicos

    Tribunal Regional Federal da 2ª Região TRF-2 - APELAÇÃO CIVEL : AC 355675 RJ 2001.51.01.514847-8

    PREVIDENCIÁRIO. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONCOMITANTES, AMBOS VINCULADOS AO RGPS. IMPOSSIBILIDADE DE CONTAGEM PARA FINS DE APOSENTADORIA ESTATUTÁRIA E PREVIDENCIÁRIA, AINDA QUE POSTERIORMENTE UM DOS EMPREGOS TENHA SIDO TRANSFORMADO EM CARGO PÚBLICO. - A partir de 01/11/1979, quando foi admitido como empregado na Clínica Radiológica José Nicolau Nachef, até a data em que teve deferida a aposentadoria estatutária (1994), o Autor trabalhou concomitantemente para o INAMPS e para a referida clínica. - Quanto ao período em que o Autor trabalhou para o INAMPS, cumpre esclarecer que entre 1966 e 1990 este era vinculado ao regime geral, a partir de quando o contrato de trabalho foi considerado extinto, na forma do artigo da Lei 8162/91, passando o Autor a ser regido pelo regime jurídico dos Servidores Públicos da União, instituído pela Lei 8112/90. - No período anterior a 12/12/1990, o Autor era filiado exclusivamente ao regime geral, não havendo distinção, neste aspecto, entre o serviço prestado ao INAMPS e o serviço prestado ao ente privado. Por esta razão, não há como distinguir, para fins de contagem de tempo de serviço, os serviços concomitantemente prestados ao INAMPS e a Clínica de Radiologia, visto que ambos geravam vinculação apenas ao regime geral, no período anterior a 12/12/1990. - Tendo o Autor se utilizado da prerrogativa de contagem recíproca, não é possível a inclusão deste tempo de serviço, no que tange à aposentadoria previdenciária.

    Processo
    AC 355675 RJ 2001.51.01.514847-8
    Orgão Julgador
    PRIMEIRA TURMA ESPECIALIZADA
    Publicação
    DJU - Data::30/10/2006 - Página::334
    Julgamento
    25 de Setembro de 2006
    Relator
    Desembargadora Federal MÁRCIA HELENA NUNES

    Ementa

    PREVIDENCIÁRIO. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONCOMITANTES, AMBOS VINCULADOS AO RGPS. IMPOSSIBILIDADE DE CONTAGEM PARA FINS DE APOSENTADORIA ESTATUTÁRIA E PREVIDENCIÁRIA, AINDA QUE POSTERIORMENTE UM DOS EMPREGOS TENHA SIDO TRANSFORMADO EM CARGO PÚBLICO. - A partir de 01/11/1979, quando foi admitido como empregado na Clínica Radiológica José Nicolau Nachef, até a data em que teve deferida a aposentadoria estatutária (1994), o Autor trabalhou concomitantemente para o INAMPS e para a referida clínica. - Quanto ao período em que o Autor trabalhou para o INAMPS, cumpre esclarecer que entre 1966 e 1990 este era vinculado ao regime geral, a partir de quando o contrato de trabalho foi considerado extinto, na forma do artigo da Lei 8162/91, passando o Autor a ser regido pelo regime jurídico dos Servidores Públicos da União, instituído pela Lei 8112/90. - No período anterior a 12/12/1990, o Autor era filiado exclusivamente ao regime geral, não havendo distinção, neste aspecto, entre o serviço prestado ao INAMPS e o serviço prestado ao ente privado. Por esta razão, não há como distinguir, para fins de contagem de tempo de serviço, os serviços concomitantemente prestados ao INAMPS e a Clínica de Radiologia, visto que ambos geravam vinculação apenas ao regime geral, no período anterior a 12/12/1990. - Tendo o Autor se utilizado da prerrogativa de contagem recíproca, não é possível a inclusão deste tempo de serviço, no que tange à aposentadoria previdenciária.

    Veja essa decisão na íntegra
    É gratuito. Basta se cadastrar.