jusbrasil.com.br
27 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Detalhes da Jurisprudência
Processo
CC 1729 97.02.23939-7
Órgão Julgador
QUINTA TURMA
Publicação
DJU - Data::15/05/2003 - Página::270
Julgamento
26 de Junho de 2002
Relator
Desembargador Federal GUILHERME CALMON NOGUEIRA DA GAMA
Documentos anexos
Inteiro TeorCC_1729_26.06.2002.rtf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

VII - CONFLITO DE COMPETENCIA 97.02.23939-7

1

RELATOR

:

JUIZ FEDERAL CONVOCADO GUILHERME CALMON NOGUEIRA DA GAMA

AUTOR

:

CELIA PEREIRA GONCALVES

ADVOGADO

:

JORGE GONCALVES DE FIGUEIREDO E OUTROS

RÉU

:

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS

PROCURADOR

:

ANA CRISTINA SILVA SANTOS

SUSCITADO

:

JUÍZO FEDERAL DA 35A VARA-RJ

ORIGEM

:

DÉCIMA PRIMEIRA VARA FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (9000523400)

RELATÓRIO

1. Cuida-se de Conflito de Competência suscitado pelo MM. Juiz Federal da 11ª Vara da Seção Judiciária do Rio de Janeiro nos autos da Ação de procedimento comum ordinário movida por CÉLIA PEREIRA GONÇALVES em face do INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL (INSS), sob o fundamento de que a demanda envolve a recomposição, mediante atualização, do montante relativo ao benefício previdenciário repassado pelo órgão português de Previdência Social. A lide, assim, teria natureza previdenciária. O magistrado observou, ainda, que era incabível a aplicação do disposto no art. 296, do Código de Processo Civil após estabelecido o contraditório com citação e resposta do Réu.

2. O feito tramitava perante o Juízo da 35ª Vara da Seção Judiciária do Rio de Janeiro – especializada em matéria previdenciária -, tendo o MM. Juiz daquela Vara proferido sentença no sentido de indeferir a petição inicial (fls. 884/885), sendo que diante do recurso de Apelação interposto pela Autora, reconsiderou a r. sentença com base no art. 296, do Código de Processo Civil e, em seguida, declinou da competência para a 11ª Vara Federal.

3. Parecer do Ministério Público Federal (fls. 904/907) no sentido do reconhecimento da nulidade do despacho de fl. 851 do MM. Juiz da 35ª Vara Federal e, conseqüentemente, de todos os atos seguintes, ou no caso de superada tal questão, de se dar provimento ao Conflito devendo o feito ser processado e julgado perante o Juízo da 35ª Vara Federal.

Em mesa para julgamento.

GUILHERME CALMON NOGUEIRA DA GAMA

Juiz Federal Convocado para a 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 2ª Região

VOTO

EMENTA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL. CONFLITO DE COMPETÊNCIA. CAUSA ENVOLVENDO MATÉRIA DE NATUREZA PREVIDENCIÁRIA. JUÍZO ESPECIALIZADO.

Natureza previdenciária da causa, por envolver questão relativa ao pagamento de valores de benefício previdenciário. Pretensão deduzida contra o INSS em razão de Acordo Internacional firmado pelo Brasil e ratificado pelo Decreto nº 67.695, de 02.12.70.

Incompetência absoluta do Juiz de Vara não especializada em matéria previdenciária.

Conflito conhecido, a que se dá provimento, para declarar competente o Juízo da 35ª Vara da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, especializada em matéria previdenciária.

1. Cuida-se de Conflito Negativo de Competência suscitado pelo MM. Juiz da 11ª Vara Federal na causa envolvendo suposto incorreto pagamento do benefício previdenciário da Autora, titular de tal benefício em órgão português de Previdência Social. Nos termos da petição inicial, o INSS é o responsável pelo pagamento dos valores devidos, mas não tem cumprido regularmente suas funções junto à Autora considerando que os valores são pagos abaixo daqueles devidos. Nos termos do Decreto nº 67.695, de 02.12.70, o INSS é a instituição responsável em conceder e manter as prestações previstas em Acordos Internacionais de Previdência Social.

2. Inicialmente, é imperioso deixar assentado que o Conflito de Competência foi corretamente suscitado em razão da manifestação do magistrado da 11ª Vara Federal, ressaltando que não cabe a este Tribunal conhecer, neste incidente, de outra matéria que não apenas o aspecto processual da competência absoluta para conhecimento e julgamento da causa em questão. Assim, a despeito de eventual vício decorrente da decisão (ou despacho) do magistrado da 35ª Vara Federal a respeito do processamento do recurso de Apelação, tal matéria não pode ser conhecida e julgada pelo Tribunal em Conflito de Competência. Desse modo, voto pelo não conhecimento da argüição de nulidade da decisão ou do despacho de fl. 851.

3. É imperioso consignar que eventual vício da decisão (ou despacho) poderá ser conhecida pelo Tribunal em outro momento e por outro meio que não através de Conflito de Competência.

4. Quanto à matéria de fundo – ou seja, a competência -, assiste razão ao juiz suscitante, porquanto a matéria tratada nos autos é de natureza previdenciária stricto sensu envolvendo aspecto relacionado a benefício previdenciário no Regime Geral da Previdência Social.

5. Conforme foi bem acentuado pelo Procurador da República:

“ um Acordo Internacional de Previdência Social não implica na modificação da legislação vigente no país, cumprindo a cada Estado contratante analisar os pedidos de benefícios apresentados e decidir quanto ao direito e condições, conforme suas próprias normas aplicáveis” (fl. 907).

6. Diante de tais colocações, após não conhecer da argüição feita pelo MPF a respeito da nulidade de despacho (ou decisão), conheço do conflito de competência, para o fim de declarar competente para o processamento e julgamento da causa o Juízo da 35ª Vara da Seção Judiciária do Rio de Janeiro que deverá, desse modo, dar prosseguimento ao andamento do feito, tornando sem efeito a decisão que declinou da competência.

É como voto.

GUILHERME CALMON NOGUEIRA DA GAMA

Juiz Federal Convocado para a 5ª Turma

Tribunal Regional Federal da 2ª Região

EMENTA

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. CONFLITO DE COMPETÊNCIA. CAUSA ENVOLVENDO MATÉRIA DE NATUREZA PREVIDENCIÁRIA. JUÍZO ESPECIALIZADO.

1.Natureza previdenciária da causa, por envolver questão relativa ao pagamento de valores de benefício previdenciário. Pretensão deduzida contra o INSS em razão de Acordo Internacional firmado pelo Brasil e ratificado pelo Decreto nº 67.695, de 02.12.70.

2.Incompetência absoluta do Juiz de Vara não especializada em matéria previdenciária.

3.Conflito conhecido, a que se dá provimento, para declarar competente o Juízo da 35ª Vara da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, especializada em matéria previdenciária.

GUILHERME CALMON NOGUEIRA DA GAMA

Juiz Federal Convocado no TRF – 2ª Região

Relator

ACÓRDÃO

Vistos e relatados estes autos, em que são partes as acima indicadas, decide a Quinta Turma do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, por unanimidade, conhecer do Conflito e declarar competente o Juízo da 35ª Vara da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, nos termos do voto do Relator.

Rio de Janeiro, 26 de junho de 2002 (data do julgamento).

GUILHERME CALMON NOGUEIRA DA GAMA

Juiz Federal Convocado no TRF – 2ª Região

Relator

Disponível em: https://trf-2.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/830505/conflito-de-competencia-cc-1729-970223939-7/inteiro-teor-100522267

Informações relacionadas

Doutrina2019 Editora Revista dos Tribunais

Institutos de Proteção – Relações de Cuidado

Doutrina2016 Editora Revista dos Tribunais

Capítulo XVII. Institutos de Proteção - Relações de Cuidado - Parte II - A Família no Sistema de Direito Privado

23.4 Ausência e curatela - 23- Capacidade para suceder: qualidade de herdeiro