jusbrasil.com.br
29 de Maio de 2020
2º Grau

Tribunal Regional Federal da 2ª Região TRF-2 - APELAÇÃO CIVEL : AC 200751010266372 RJ 2007.51.01.026637-2

Detalhes da Jurisprudência
Processo
AC 200751010266372 RJ 2007.51.01.026637-2
Órgão Julgador
SÉTIMA TURMA ESPECIALIZADA
Publicação
E-DJF2R - Data::19/05/2010 - Página::458/459
Julgamento
14 de Abril de 2010
Relator
Desembargadora Federal SALETE MACCALOZ
Documentos anexos
Inteiro TeorAC_200751010266372_RJ_1280190814165.rtf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

ADMINISTRATIVO. PENSÃO POR MORTE. FILHA. DECLARAÇÃO DE PATERNIDADE REALIZADA PELA MÃE. VALIDADE DOS REGISTROS PÚBLICOS. POR MORTE. FILHO ADOTIVO. ART. 227, § 6º, DA CF/88. 1.

Não cabe à Administração questionar a legitimidade do registro público no qual consta a Impetrante como filha do ex-combatente falecido e, em consequência, obstar o prosseguimento do processo administrativo de concessão do benefício, exigindo a realização de exame de paternidade. 2. Patente a ilegalidade e o abuso de poder da autoridade impetrada ao exigir exame de paternidade em razão do nascimento da beneficiária haver sido declarado unicamente pela mãe. Flagrante maltrato ao direito líquido e certo. 3. A Constituição Federal não deixa margem à dúvida no tocante à igualdade entre filhos naturais e adotivos, art. 227, § 6º, da CF/88. 4. Apelação provida.

Acórdão

A Turma, por unanimidade, deu provimento ao recurso, nos termos do voto do (a) Relator (a).
Disponível em: https://trf-2.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/15269409/apelacao-civel-ac-200751010266372-rj-20075101026637-2